Estratificação social e as desigualdades

Os sinais das desigualdades entre os seres humanos podem ser observados em todos os lugares. Basta ver a forma como as pessoas se vestem, o carro que possuem, a casa e o bairro que moram, etc. podemos observar também as desigualdades observando os bens simbólicos, ou seja, os lugares em que estudam e os bens culturais que consomem. Em suma, as desigualdades se evidenciam no contraste entre riqueza e pobreza.
As desigualdades entre os seres humanos podem ser encontradas em praticamente todas as sociedades. Isso significa que a sociedade é dividida em camadas ou estratos. Alguns seres humanos estão no topo da pirâmide e outros na base.
Nesse sentido, estratificação social, é o termo usado para descrever as desigualdades existentes entre os indivíduos e os grupos dentro das sociedades humanas. Pode se dar em termos de riqueza ou ainda gênero, idade, religião, posto militar, etc.
Os indivíduos usufruem de um acesso desigual às recompensas de acordo com sua posição no esquema de estratificação.
Estratificação social pode ser conceituada como desigualdades estruturadas entre diferentes agrupamentos de pessoas.
A estratificação social e as desigualdades decorrentes são produzidas historicamente, ou seja, são geradas por situações específicas de cada sociedade.
Os principais tipos de estratificação social são:
- O sistema de castas
- Os estamentos
-  As classes


BIBLIOGRAFIA:
 GIDDENS, Anthony. Sociologia.  Ed. Artmed. Porto Alegre, 2004.
 TOMAZI, Nelson Dácio. Sociologia para o ensino médio. Ed. Atual. São Paulo, 2007.

Um comentário: